barmet.gif (455 bytes)

Esta linha de pesquisa está sendo desenvolvida pelas Disciplinas de Urologia (Setor de Urologia Feminina, Urodinâmica e Uroneurologia) e Neurologia (Setor de Neurofisiologia Clínica) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP/EPM). Este trabalho foi realizado em mulheres cuja história e avaliação clínica não evidenciaram a presença de perdas de urina ou fezes, prolapsos genitais significativos, diabetes e outras alterações degenerativas, patologias neurológicas, cirurgias vaginais ou pélvicas extensas, vigência de infecção urinária ou quadro sugestivo de cistite intersticial.
Um total de 9 voluntárias fizeram parte deste estudo, após leitura da carta de informação e permissão escrita, com faixa etária entre 29-63 anos (média= 44,4 anos). A mesma foi colocada em posição de litotomia para a pesquisa de ambos os reflexos. Obteve-se, inicialmente, o limiar sensorial aumentando-se gradualmente a intensidade do estímulo até a sua percepção por parte da paciente. Por ser um dado subjetivo, repetições sucessivas foram necessárias até a obtenção de um valor confiável. Estímulos subsequentes foram realizados com múltiplos do limiar sensitivo.
No reflexo pudendo-anal, a estimulação ocorreu em região paraclitoriana bilateralmente, através de estimulador bipolar convencional. A porção média uretral foi estimulada, para obtenção do reflexo uretro-anal, através de eletrodo em anel DANTEC acoplado à sonda de Foley 10 Fr. Eletrodos de superfície acolados à região perianal fizeram o registro dos resultados em aparelho de eletroneuromiografia NIHON-KOHDEN, modelo Neuropack sigma.
Estimulações repetidas em cada intensidade determinada pelo limiar sensitivo foram realizadas. A latência obtida, em milisegundos (ms), através da superposição dos traçados observados foram analisadas.