barmet.gif (455 bytes)

Foram estudadas 101 mulheres, no período de março de 1997 à Dezembro de 1998 , distribuídas em dois grupos, de acordo com presença ou não de perda urinária, sendo o Grupo 1( G1, n=51) com perda urinária e o Grupo 2 ( G2, n=50) sem perda urinária. Estas mulheres foram informadas dos procedimentos a serem realizados e assinaram consentimento escrito para tal avaliação.
A avaliação clínica incluía a História clínica, obstétrica e ginecológica, e avaliação subjetiva das perdas urinárias.
Utilizamos o teste do absorvente como forma objetiva de avaliarmos as perdas urinárias. A quantidade de água ingerida antes do teste era pré-determinada e o absorvente, pesado previamente, foi fornecido à paciente. Após a sua colocação foram realizadas diferentes atividades, previamente estabelecidas. Ao final o absorvente era novamente pesado, para que fosse obtida objetivamente a quantidade de urina perdida ( diferença entre o peso seco ou inicial, e o peso final). O resultado deste teste foi registrado em gramas7.As análises estatísticas das tabelas foram realizadas através do teste de Goodman para contrastes entre e dentro de proporções multinomiais (STREINER8, 1994) e com relação às variáveis frequencia de atividade física, número de micções e número de perdas por dia, utilizou-se o teste não paramétrico de Mann-Withney8. Todos os testes estatísticos foram realizados ao nível de 0,05 de significância.