JORNAL DA INCONTINÊNCIA
URINÁRIA FEMININA


Resumos Comentados
 
 

Outcome measures after TVT for mixed urinary incontinence.

Sinha D, Blackwell A, Moran PA.  
Int Urogynecol J Pelvic Floor Dysfunct. 2008 Feb 5.
 
This study assessed the outcome of tension-free vaginal tape (TVT) in the treatment of mixed incontinence using the Medical Epidemiologic and Social Aspects of Ageing (MESA) questionnaire and other outcome measures used by the British Society of Urogynaecology (BSUG) database. Forty women undergoing TVT completed a MESA questionnaire pre-operatively and at 6 months post-operatively. Information was also obtained about three outcome measures of the BSUG database-patients' global impression of outcome and stress and urge symptom analyses. Stress and urge incontinences were either cured or improved in 78 and 75 % of women, respectively, after TVT. The results of post-operative patients' global impression of outcome showed great or moderate improvement in 75% of cases and had 69% reduction in mean MESA scores (p value less than 0.001). Symptom improvement based on MESA scores relates well with the basic outcome measures for stress and urge incontinences used by the BSUG database.
 

Comentário Editorial

 
A presença de hiperatividade do detrusor é considerada fator de risco para insucesso ou diminuição do sucesso no tratamento cirúrgico da incontinência urinária. Aspectos meritórios do trabalho incluem o caráter prospectivo e a utilização de questionários validados auto-administrados pelos pacientes antes e 6 meses pós cirurgia. Como pontos fracos, a amostra é relativamente pequena e não existiu avaliação objetiva no período pós-operatório. Várias técnicas foram avaliadas no que se refere à resposta da hiperatividade do detrusor ao procedimento cirúrgico. Os índices de satisfação, com melhora ou cura dos sintomas de HD variaram de 50% a 75%. Dois aspectos são fundamentais em relação à indicação cirúrgica para este subgrupo de pacientes: Avaliar a intensidade dos sintomas de urgência (quanto predominam sintomas de urgência em relação aos de esforço é maior a possibilidade de insucesso) e, sempre que possível, oferecer tratamento conservador como terapia inicial, com reposição hormonal tópica quando necessária, exercícios pélvicos / eletroestimulação e anticolinérgicos. Nos casos de insucesso do tratamento conservador é fundamental que as candidatas a cirurgia estejam cientes da limitação das técnicas cirúrgicas em relação aos sintomas severos de HD.
 

Aparecido Donizeti Agostinho