baresul.gif (2600 bytes)

Foram entrevistadas 807 mulheres e a prevalência de incontinência urinária foi de 29,7%, sendo que em 9,2% dos casos a incontinência era aos mínimos esforços. Destas somente 30,8% das pacientes utilizavam protetores. A urgência associou-se a IUE em 59,2% dos casos.
As mulheres entrevistadas foram distribuídas em dois grupos de acordo com presença ou não de perda urinária: O grupo G1 (n=240) foi constituído por mulheres com perda de urina e o grupo G2 (n=567) por mulheres que negaram perda urinária. A idade média no grupo G1 foi de 52,9 anos (12-92) e no grupo G2 foi de 49,9 anos (12-95). Houve diferença estatística significante (P<0,05) entre os grupos, demonstrando que o fator idade pode ter influência na perda urinária.

GRUPOS

IDADE MÉDIA (anos)

IMC

 

n

Idade Média*

n

IMC Médio*

G1 (Com Perda)

236

52,9

122

27,5

G2 (Sem Perda)

565

49,9

395

25,8

* p < 0,05

A obesidade, medida pelo índice de massa corpórea (IMC), foi, em média, de 27,5% no grupo G1, enquanto que, no grupo G2, observamos valor médio de 25,8%. Esta diferença revelou-se estatisticamente significante (p<0,05).
Na análise de outras variáveis como histerectomia prévia ou presença de incontinência fecal, não observamos diferença estatística significante entre os dois grupos, muito embora, outros autores tenham verificado uma associação da perda urinária seja com história de histerectomia prévia, seja com a presença de incontinência fecal.