ABORDAGEM CONSERVADORA

As medidas propostas são o cateterismo vesical com sonda de demora (Foley) e a antibioticoterapia profilática4. Em casos com etiologia tuberculosa está indicada a quimioterapia específica5. Na presença de fístula vésico-uterina com menúria, sem incontinência urinária, utiliza-se supressão endócrina da menstruação por 3 a 6 meses6,7.

Entre os métodos pouco invasivos, pode-se realizar a fulguração do trajeto fistuloso com sondagem vesical de demora, por 6 semanas8, associada à indução concomitante de amenorréia com anticonceptivos por 6 meses9. Nestes, a boa irrigação arterial da parede uterina favorece o fechamento espontâneo do trajeto fistuloso.