TVT (Tension-free Vaginal Tape) é um tipo de sling que utiliza uma faixa de prolene colocada entre o terço médio e distal da uretra, aplicada sem tensão e sem a necessidade de sutura de fixação6. É um procedimento de fácil realização, podendo ser feito de forma ambulatorial e com anestesia local, se esta for a preferência do cirurgião e da paciente. Esta cirurgia é útil para mulheres idosas, obesas, pacientes com intervenções cirúrgicas prévias e está indicado em portadoras de IUE por hipermobilidade uretral e/ou por deficiência esfincteriana íntrínseca.
Esta técnica foi desenvolvida na Suécia, por Ulmsten e cols. cujo objetivo foi de restabelecer funcionalmente o ligamento pubo-uretral, e está baseada na "teoria integral da continência", desenvolvida por Petros e Ulmsten7, descrita em 1990 (Figs. 4 e 5). Estes autores entendem que a função adequada do ligamento pubo-uretral, o mecanismo de sustentação uretral e a boa função dos músculos do assoalho pélvico, são os responsáveis pela manutenção da continência urinária8.
Os resultados publicados com esta técnica demonstram índices de cura em torno de 85%-90% a curto e médio prazo 9,10.
Na atualidade, a colocação de sling é a forma mais comum de tratamento cirúrgico da IUE, mas ao mesmo tempo também é a causa mais freqüente de complicações ocasionadas por processos obstrutivos. Nunca é demais insistir em que não se deve comprimir a uretra durante a realização desta cirurgia.