Os diferentes fatores envolvidos no etiopatogenia da incontinência urinária feminina tem sido extensamente estudados, ocasionando melhora no tratamento da incontinência urinária feminina.
O músculo elevador do ânus é tem papel seja no aumento súbito da pressão intra-abdominal, seja no aumento da pressão na uretra que acontece quando, durante a micção, o jato urinário é interrompido voluntariamente8.
Na contração do períneo ocorre inibição do centro da micção sacral também denominado refluxo inibitório períneo-detrusor3. Este fato é particularmente interessante para os fisioterapeutas que utilizam este conceito em diferentes formas de tratamento da incontinência urinária na mulher. O reflexo inibitório é a forma pela qual ocorre inibição da contração do detrusor em resposta a uma tensão voluntária dos músculos do assoalho pélvico9.
Observamos que o grupo de mulheres incontinentes (GI) apresentou um déficit significante da força muscular quando comparado ao grupo continente GII.
Estes fatos demonstram a importância da avaliação funcional e objetiva dos músculos do assoalho pélvico na propedêutica da incontinência urinária feminina.