Foram estudadas 101 mulheres entre março de 1997 e dezembro de 1998, atendidas no Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná, Londrina, Brasil. Foram divididos em 2 grupos; O Grupo I (n=51) foi constituído por mulheres incontinentes e o grupo II (n=50) continentes. Estas mulheres foram esclarecidas sobre os procedimentos a que seriam submetidas e assinaram um termo de consentimento informado que foi aprovado pelo comitê de ética.
Inicialmente foi realizada avaliação visual da contração da musculatura de perineal, e as contrações foram classificadas em presentes ou ausentes. A avaliação funcional foi realizada por meio do toque vaginal. O examinador pedia para a paciente contrair a musculatura do períneo e manter a contração contra os dedos do examinador por mais de 5 segundos. Desta forma, a contração muscular foi classificada de 0 a 4 (Tabela 1). Para a avaliação objetiva da força muscular do assoalho pélvico foi utilizado um aparelho de retroalimentação, Peritron 9300 que fornecia o pico máximo (cmH2O), o pico médio (em H2O) e a duração (segundos) da contração da musculatura perineal. Para a obtenção das medidas foi usado um sensor vaginal inflável, revestido por um preservativo, que foi introduzido no canal vaginal e deixado aproximadamente 1cm exteriorizado. Esta localização permitiu que a porção de máxima força do músculo perineal, que se localiza a aproximadamente 3,5cm do intróito vaginal, estivesse em contato com o sensor vaginal. Depois da introdução, o sensor endovaginal foi inflado até 100 cmH2O. O equipamento foi zerado e a paciente orientada a contrair os músculos perineais por 3 vezes, e que mantivesse esta contração durante o maior período de tempo possível. Foi registrado o pico máximo, médio e a duração da contração muscular. O sensor vaginal foi esterilizado após sua utilização.
A análise estatística foi realizada por meio do teste de Goodman e para os resultados não paramétricos usou-se o teste de Mann-Withney5,6,7.
Todos os testes estatísticos foram executados com um nível de significância de 0,05.