barref.gif (2902 bytes)


O prolapso de cúpula vaginal apresenta-se mais freqüentemente como uma herniação vaginal. Embora, existam tratamentos não cirúrgicos efetivos, a cirurgia representa a opção terapêutica e curativa inicial. Avaliação detalhada e personalizada das portadoras do prolapso de cúpula vaginal serão úteis na seleção do melhor procedimento para cada paciente. A avaliação da função vesical (estudo urodinâmico) deve ser realizada previamente à cirurgia, com a finalidade de prevenir a incontinência urinária no pós-operatório.  Tanto as vias de acesso vaginal, quanto abdominal, apresentam índices muito elevados de sucesso (maior que 90%). Para as mulheres idosas, existem opções cirúrgicas simples e seguras. A escolha da via do acesso cirúrgico deve ser baseada na avaliação individual e personalizada do melhor procedimento para cada paciente.